Mato Grosso, Segunda-Feira, 24 de Junho de 2019
Logo NoticiaNET
Informe Publicitário
ALTA FLORESTA

Comunidade escolar participa de Workshop de Prevenção à Corrupção

O projeto será aplicado em todas as promotorias do Estado

Da Redação

10/06/2019 às 16:48

Comunidade escolar participa de Workshop de Prevenção à Corrupção
assessoria

A 1ª Promotoria de Justiça Criminal de Alta Floresta (a 803km de Cuiabá) realiza nesta terça-feira (11 de junho) um Workshop de Prevenção à Corrupção voltado para professores, educadores e estudantes dos cursos de Direito e Pedagogia. A atividade, que compõe o projeto "Onde há educação, a corrupção não têm vez!", terá início às 19h, no salão nobre da Faculdade de Direito de Alta Floresta (FAF-FADAF). 

A promotora de Justiça Luciana Fernandes de Freitas, idealizadora da iniciativa, conta que as reuniões preparatórias do projeto já foram realizadas e que o workshop é o próximo passo. Para o segundo semestre está prevista a competição entre alunos e escolas, desenvolvida em três fases. 

A primeira fase, com caráter eliminatório, consiste na elaboração de uma redação sobre Combate à Corrupção. A segunda é o desenvolvimento de um projeto de artes de forma livre, utilizando diferentes vertentes artísticas, como poesia, dança, teatro, música, documentários, etc. A última prova é a elaboração de um discurso a ser entregue à comissão organizadora depois apresentado à população. 

Saiba mais - O projeto “Onde há educação, a corrupção não tem vez” teve início nas promotorias de Porto Alegre do Norte e Comodoro, sob a coordenação da promotora Luciana de Freitas. Em razão do sucesso alcançado, tornou-se um programa institucional, com o apoio da Procuradoria-Geral de Justiça, a ser replicado em todas as promotorias do Estado. Ele conta com a parceria da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e secretarias municipais de Educação. 

A iniciativa recebeu certificado de reconhecimento pelo Fórum Nacional de Combate à Corrupção (FNCC), avaliada como boa prática de fomento à integridade social e à cidadania, e o Selo Ação Íntegra de qualidade em prevenção primária à corrupção da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (ENCCLA), ambos do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).