Mato Grosso, Segunda-Feira, 27 de Maio de 2019
Logo NoticiaNET
Informe Publicitário
Movimento Mato Grosso Forte

Entidades do agro manifestam apoio ao Movimento Mato Grosso Forte

Movimento vai ocorrer na próxima quarta-feira (15/5

Da Redação

10/05/2019 às 16:17

Entidades do agro manifestam apoio ao Movimento Mato Grosso Forte

A Aprosoja Brasil e entidades do setor produtivo rural assinaram uma nota de apoio conjunta ao Movimento Mato Grosso Forte. O ato que dá início Movimento vai ocorrer na próxima quarta-feira (15/5), em frente à sede da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja MT), em Cuiabá.

Promovido pela Aprosoja MT, o Movimento Mato Grosso Forte tem o objetivo de alertar a população sobre os impactos que a taxação das cadeias produtivas causam a toda a sociedade e cobrar do poder público mais eficiência e transparência na aplicação dos recursos públicos.

Nota de Apoio de Entidades do Agro ao “Movimento Mato Grosso Forte”

Brasília, 09/05/2019

Entidades do setor produtivo rural contrárias à taxação das cadeias produtivas convidam a sociedade, produtores rurais e setores ligados ao agronegócio a apoiarem o Movimento Mato Grosso Forte – Quem Paga Imposto Cobra Resultado. O objetivo é alertar a população sobre os impactos que a taxação das cadeias produtivas causam a toda a sociedade e cobrar do poder público mais eficiência e transparência na aplicação dos recursos públicos.

O ato acontecerá no dia 15 de maio, a partir das 8h, em frente à sede da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja MT), em Cuiabá.

O Movimento Mato Grosso Forte é uma bandeira legítima do setor que mais contribui com a geração de tributos, emprego e desenvolvimento e que está sendo sacrificado pela gestão ineficiente dos recursos públicos no Estado.

A taxação sobre a produção já afeta diretamente os produtores de grãos de Mato Grosso. No caso da soja e, principalmente, do milho, a produção ficará totalmente inviabilizada em decorrência da elevação da cobrança do Fundo Estadual de Transportes e Habitação (Fethab) sobre a produção.

As entidades supracitadas são contrárias à cobrança do Fethab e defendem que os recursos públicos arrecadados pelo Estado devem ser aplicados prioritariamente em bons serviços para a população nas áreas de educação, saúde, segurança e infraestrutura de transportes.

Taxar as cadeias produtivas do campo aumentará o desemprego, diminuirá o Produto Interno Bruto (PIB) e reduzirá o índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e a qualidade de vida das pessoas. Por entenderem a importância do setor de grãos para a economia nacional e a relevância de Mato Grosso enquanto maior produtor de grãos e carnes do país, as entidades manifestam apoio ao Movimento Mato Grosso Forte. Porque quem paga tantos impostos tem o direito de cobrar resultados.

Subscrevem a nota:

Associação Brasileira dos Produtores de Soja – APROSOJA BRASIL

Associação Brasileira de Frigoríficos – ABRAFRIGO

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais – ABIOVE

Associação Brasileira dos Produtores de Milho – ABRAMILHO

Associação Brasileira do Agronegócio – ABAG

Associação Nacional dos Exportadores de Cereais – ANEC

Conselho dos Exportadores de Café do Brasil – CECAFÉ

Conselho Nacional do Café – CNC

Departamento do Agronegócio da Fiesp – DEAGRO

Federação da Agricultura do Estado de São Paulo – FAESP

Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso – FAMATO

Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal – SINDIRAÇÕES

Sociedade Rural Brasileira – SRB

União Nacional do Etanol de Milho – UNEM